DESDE MAIO

DE 1999

NOSTRADAMUS - A HORA DA VERDADE

O MAIOR, MELHOR, E MAIS SÉRIO SITE EM PORTUGUÊS SOBRE NOSTRADAMUS

 

 Site editado por Wilson A de Mello Franco - Autor de 20 livros sobre Nostradamus.

FINALMENTE VOCÊ ENCONTROU UM SITE DE VERDADE SOBRE NOSTRADAMUS!

 

Menu Nostradamus

Menu Profecias

Contato - Imprensa

Cabala

Livros do Autor do Site

 ® DIREITOS RESERVADOS - EDITORA SÉCULO XXI LTDA

 Proibida a cópia de qualquer parte deste site, para qualquer fim, sem autorização dos autores.

 LEI 9610 dos Direitos Autorais, de 1998.      

 

 

        REALIDADE HOJE NOSTRADAMUS PROFETAS E PROFECIAS

           

   Site editado por Wilson A de Mello Franco

Ninguém entende mais de Nostradamus. Poucos entendem tanto de Profetas e Profecias

                 

 

 

 

 

 

 

      NOSTRADAMUS  O HOMEM,

     O MITO, O PROFETA

 

 

   MICHEL DE NOSTREDAME, conhecido pelo codinome latino NOSTRADAMUS, é  considerado o maior profeta de todos os tempos. Previu acontecimentos que vão de 1557 (quando publicou a segunda parte de AS CENTÚRIAS) ao chamado "fim dos tempos". No PREFÁCIO de sua famosa Obra, Nostradamus antevê  até mesmo a loquacidade das calúnias que sofreria no decorrer dos séculos, a injúria e o comércio desenfreado que  se faria  sobre seu legado. Sua popularidade extrapola todas as fronteiras.É  provável que não haja ser  humano civilizado que, pelo menos uma vez, nunca tenha ouvido falar de NOSTRADAMUS!


    Mas por que tanta fama?

    NOSTRADAMUS escreveu uma única Obra de destaque: AS CENTÚRIAS, que  alguns  consideram o livro mais comentado de todos os tempos, depois da Bíblia. Ao  contrário de outros gênios, cuja fama aconteceu só depois da  morte, O MAGO DE SALON ganhou prestígio ainda em sua época, ao antever a morte do rei  Henrique II num  torneio de liça, em 1559, na quadra I.35, quatro anos antes, quando foi editada a primeira parte de sua Obra. 

 

 

                           _____________________________________________

                    BIOGRAFIA

 

     O maior profeta de todos os tempos veio ao mundo ao meio-dia de 14 de dezembro de 1503 - uma quinta-feira, em Saint Rémy de Provence, sul da França, região próxima do Mediterrâneo. Descendente de família judia recém-convertida - ou, como se dizia na época, cristãos novos -, o profeta freqüentava a igreja regularmente. O sobrenome da família Notre-Dame (em português, Nossa-Senhora) foi tomado do bairro epônimo de Avinhão, cidade do sul da França onde já viviam em fins do século XV.

    Em Avinhão, aos 14 anos, o jovem Michel começou a estudar humanidades, gramática, filosofia, retórica e arte num famoso centro renascentista. Já dominava o grego e o latim. Ali teria entrado em contato com pessoas de idéias avançadas para a época, que vislumbravam uma nova teoria revolucionária, o heliocentrismo, postulado considerado herético pelo cânones. Por isso, em 1522, sua família, ciente de suas idéias "subversivas", com medo da Inquisição, achou por bem enviá-lo a Montpellier para estudar medicina na universidade local, cujo renome equiparava-se à de Paris.
      Três anos depois o jovem Michel obteve o grau de bacharelado, recebendo licença para praticar a medicina. Saiu então a andarilhar pelas províncias em auxílio às vítimas da peste negra que assolava a Europa. Quatro anos depois retornou a Montpellier para terminar os estudos, rematriculando-se em 23 de outubro de 1529. 
      Doutorou-se, recebendo o chapéu quadrado, que identificava os médicos (o mesmo chapéu que se vê em seu retrato na igreja de Salon), o anel de ouro, e um exemplar das obras de Hipócrates. Foi-lhe oferecido um lugar de mestre na escola, e ele lecionou aí durante mais ou menos um ano. 
      Em 1532, por aí, andarilhou novamente, assistindo os enfermos de Narbonne, Toulouse, La Rochelle e Bordéus. Ganhando a vida como médico, Nostradamus também vendia cosméticos, perfumes e filtros de amor que ele mesmo preparava. Em 1534 estava em Agen, onde conheceu e logo se casou com Adriette du Loubejac, jovem de alta posição, com quem teve um casal de filhos (há quem diga que eram dois meninos). Em 1537 a peste chega a Agen e Adriette e os filhos morrem repentinamente, e o profeta se retira - dizem alguns biógrafos - ao mosteiro de Orval, no Luxemburgo.
      Depois andarilhou novamente, percorrendo a França e a Itália. Em 1544 passou a residir em Marselha, passando a trabalhar contra a peste. Em 1547 seu irmão Bertrand manda chamá-lo a Salon e apresenta-lhe uma jovem viúva rica - Anne Ponsard Gemelle, com a qual se casa em 11 de novembro, tendo com ela três filhos e três filhas. 
      Morando em Salon, passou então a escrever um almanaque anual que era vendido pelos mascates às populações rurais. Esse almanaque, que fazia grande sucesso, basicamente tratava de previsões metereólogicas ordinárias, das plantações, condições locais e regionais.

       Publicou ainda o Adornos e Cheiros Para Embelezar o Rosto, e em 1552 o Traité de Fardements et Confitures (Tratado de Adornos e Confeitaria), um livro de receitas diversas onde expõe métodos de assepsia para a conservação de doces em compotas, além de cosmética.

      Em MAIO DE 1555, Nostradamus publicou seu famoso livro de profecias - AS CENTÚRIAS -, pela casa Macé Bonhomme, de Lyon. Essa primeira edição continha apenas as três primeiras Centúrias e mais 54 quadras da quarta, precedidas pelo Prefácio de M. Nostradamus às suas Profecias, dedicado ao seu filho César, recém-nascido. 
     Com o sucesso, a rainha Catarina de Médicis, apaixonada por ciências ocultas, mandou chamá-lo à Corte, onde chegou em 15 de agosto de 1555. Instalado, por fim, no palácio de Nevers, a nobreza vinha procurá-lo para horóscopos e palpites.
     Em 1557 saiu uma segunda edição de As Centúrias, aumentada até a sétima. Em 1558 o editor de Lyon, Pierre Rigaud, imprimiu o livro com seu corpo principal, incluindo uma longa epístola supostamente dedicada a Henrique II. Em edições posteriores seriam acrescentados as Sextilhas e os Presságios, além de quadras suplementares. 

      A consagração de Nostradamus como grande profeta aconteceu ainda durante seu tempo de vida, com a morte trágica de Henrique II, em 10 de julho de 1559, prevista pelo profeta na quadra 35 da Centúria I. Mas, em 1561, cansado da superficialidade da corte, retornou a Salon, retomando seu trabalho. Montou então no ápice de sua bela residência um laboratório-observatório. A casa ainda pode ser vista na Place de la Poissonnerie. 
      Em 1561 consta também a impressão, em Paris, do seu Le Remède Très Utile Contre la Peste et Toutes Flèvres Pestilentielles (O Remédio Muito Útil Contra a Peste e Todas as Febres Pestilentas).

      Já na velhice, escreveu o Moultes Opuscules, onde narra sua atuação contra a peste na Provença, além de esporádicas passagens de suas andanças, particularmente pela Itália. Em 1572 imprimiu-se em Lyon seu Traité des Singulières Recettes pour Entretenis la Santé du Corps; les Confitures; Opuscule de Plusieurs Exquises Recette (Tratado de Receitas Singulares para Manter a Saúde do Corpo; Confeitarias; Opúsculo de Várias Receitas Esquisitas). Deixou também manuscritos onde parafraseava o Hórus Apolo, e uma paráfrase de Galeno.

         O grande mago de Salon, atormentado pela gota, que evoluiu para hidropisia, sabendo que sua morte estava próxima, fez seu testamento em 17 de junho de 1566. No dia 30 o grande profeta acrescentou um codicilo ao seu testamento, e no dia seguinte o sacerdote local deu-lhe a extrema unção. Nostradamus disse então ao seu grande amigo e discípulo, Jean-Aimé Chavigny: "Amanhã de manhã já não mais me vereis com vida ao nascer do sol.". Na manhã do dia 2 de julho de 1566 foi encontrado morto no seu gabinete de trabalho. No presságio 141, última quadra de suas CENTÚRIAS, Nostradamus prediz a própria morte: 


       De retorno da Embaixada, tendo o presente do rei colocado no lugar,
       Nada mais fará, será levado a Deus:
       Os parentes mais próximos, amigos, irmãos de sangue,
       Encontrá-lo-ão morto perto do leito e do banco.

     

           Foi sepultado na igreja do Convento de Cordeliers. Em seu túmulo constava um epitáfio, em latim, encomendado pela esposa: 

 

           "Aqui estão os restos mortais do mui ilustre Michel Nostradamus, o único, na opinião de todos os mortais, cuja pena, quase divina, foi digna de escrever segundo o movimento dos astros, os futuros acontecimentos que hão de acontecer no mundo inteiro. Viveu 62 anos, 6 meses e 17 dias. Morreu em Salon no ano de 1566. Que a posteridade não perturbe o seu repouso. Ana Ponsard, sua segunda esposa, deseja ao seu excelente esposo um eterno descanso". 

     No decorrer da história seu túmulo foi visitado por muitas personalidades, entre elas Luís XIII, em 1622, Luís XIV e o cardeal Mazarino, em 1660. Em 1700, quando exumaram-lhe os restos mortais para outro local do Convento, foi encontrada junto dos ossos uma placa escrita: 1700! Em 1793, durante a Revolução Francesa, quando se destruíam conventos, soldados marselheses antimonarquistas violaram as tumbas, e um deles arrombou o caixão de Nostradamus e espalhou os ossos pelo local. Mas quando foram lembrados de que o profeta havia profetizado claramente o ano da queda da monarquia ("E durará esta até o ano de 1792..." Vide a Epístola a Henrique), os soldados recolheram os ossos de volta ao caixão, que foi então transladado para a capela da Virgem, na igreja de Saint-Laurent, em Salon. Seu túmulo ainda está lá, acompanhado de um retrato, e pode ser visto ainda hoje